Pular para o conteúdo
Voltar

Governo de MT entrega à Politec equipamentos de alto padrão para identificação de drogas

Investimento na tecnologia dará mais agilidade à segurança pública e ampliará a capacidade analítica oferecida aos peritos oficias criminais que estão lotados nestas unidades
Tita Mara Teixeira | Politec-MT

Sarah Mendes / Politec- MT
A | A

O Governo de Mato Grosso entregou para a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), nesta quinta-feira (02.06), de forma simbólica, 15 equipamentos infravermelhos para identificação de drogas, que serão destinados às gerências de perícia da Capital e do interior do Estado. 

Os itens, considerados de alto padrão, foram adquiridos com recursos do programa Mais MT e da Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad) do Governo Federal, na ordem de R$ 5,6 milhões. O investimento na tecnologia dará mais agilidade à segurança pública e ampliará a capacidade analítica oferecida aos peritos oficias criminais.

De acordo com o diretor-geral da Politec, Rubens Sadao Okada, com a entrega dos equipamentos para as gerências de perícia, as amostras de drogas apreendidas pelas forças de segurança no interior do Estado, que antes eram encaminhadas para exame definitivo no laboratório forense da capital, serão periciadas na própria unidade descentralizada, reduzindo o tempo gasto entre o recebimento da solicitação dos exames e a conclusão do laudo definitivo. O exame de drogas como é feito até então, que levava, em média 60 dias (entre o exame preliminar, deslocamento e exame definitivo), será reduzido para até 24 horas.

“Os equipamentos trarão maior celeridade nas investigações e no processo judicial, porque o juiz e o desembargador, em posse do laudo definitivo de drogas, já na audiência de custódia pode tomar a decisão em relação ao custodiado. É um investimento que traz mais agilidade e economicidade, pois todo este material teria que vir para Cuiabá, para poder fazer o exame, e para depois disponibilizar o laudo definitivo”, pontuou.

A implantação da Espectroscopia na Região do Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) nas gerências regionais irá garantir resultados tecnicamente mais confiáveis e em conformidade com os padrões internacionais de identificação forense de drogas, uma vez que o equipamento é classificado como técnica padrão classe A.

A espectrometria faz a analise por meio da frequência de vibração das ligações químicas da molécula, e busca, no banco de dados do próprio equipamento, a identificação da substância, seja ela sólida ou líquida, como entorpecentes, medicamentos e explosivos. Com a máquina, essa análise leva cerca de três minutos entre o preparo da amostra até o resultado. 

Por meio do infravermelho, a Politec espera fornecer, no prazo legal, laudos de constatação para subsidiar o inquérito policial e posterior exame definitivo de droga, uma rápida e eficiente resposta ao combate do tráfico e consumo de drogas ilícitas, e a determinação do perfil químico das drogas circulantes do Estado de Mato Grosso.